quinta-feira, 9 de julho de 2009

Inusitado!

O evento B Gourmet dentro da Casa Cor 2009 tem como tema o Edifício Copan e lembra alguns dos seus ilustres moradores. Para tal, a arquiteta Faride Elia criou o Bar do Aviador, em homenagem a um habitante que era apaixonado por aviação, passando a mensagem de uma pessoa que viajou o mundo todo e não poderia morar em outro lugar que não fosse o Copan, onde a mistura de identidades é sua principal característica.
No espaço, a criadora, que gosta de trabalhar com a idéia do não-óbvio, trouxe a cor preta para as paredes, substituindo os tradicionais tons pastéis e brancos. Apesar de inusitado, o ambiente não ficou pesado, devido ao equilíbrio entre os objetos somados aos detalhes feitos de materiais naturais e modernos. Uma trama sintética com motivo xadrez, tendo como referência as saias escocesas, foi feita especialmente para ela pela empresa Amazônia Móveis, dando ao espaço um ar de bar internacional. E o piso laminado, específico para áreas de alto tráfego, além de esquentar o local, deixou-o ainda mais acolhedor.
Mas o que mais chama a atenção no ambiente é o balcão com tampo em formato de asa de avião, onde o chefe de cozinha literalmente pode “pilotar o fogão”. Pintado com tinta automotiva metálica, para dar maior realismo, projeto da arquiteta com a ajuda e execução do moveleiro Luiz Marcondes é palco de aulas de culinária, com renomados chefs de cozinha. O trabalho do fotógrafo Sergio Israel, na cor sépia, dá um efeito anos 50.
Ambientado através de parcerias, o projeto que celebra a paixão por aviões e viagens, contou com a ajuda da Força Aérea Brasileira (FAB/ PAMA SP, objetos top de linha da Brastemp e peças de acervos pessoais, como garrafas de cervejas do mundo todo , e coleção de pequenos aeromodelos , dando a impressão de serem souvenirs trazidos de viagens.
Para Faride Elia, o que nunca pode faltar em seus projetos são formas de inserir a natureza de maneira elegante e sustentável. Na Casa Cor 2009 ela foi privilegiada com um tronco de uma árvore natural que fazia parte do stand, e teria que ser adaptado na decoração final. Tudo para humanizar o local.

Nenhum comentário: