terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sai Prêmio MCB



Inusitado o resultado do 23º Prêmio Design Museu da Casa Brasileira (MCB), uma realização da Secretaria de Estado da Cultura, que neste ano contou com 576 inscrições e terá 56 peças em exposição, além de 13 trabalhos escritos.
A experimentação com o uso de materiais em mobiliário dos designers de produto Paulo Alves da Silva Filho e Luís Fagner Koga Suzuki com a cadeira Atibaia e Paulo Foggiato, com a poltrona Bambu #5, a mesa Demoiselle e a cadeira Lapa, uma linha feita de laminados de bambu, fizeram e aconteceram. A investigação dos designers e a excelência do resultado na qualidade das peças impressionaram o júri, que concedeu o primeiro lugar na categoria Mobiliário para os quatro produtos.

Os critérios utilizados pelo júri da premiação mais conceituada do design brasileiro foram originalidade, concepção formal, inovação tecnológica, adequação ao mercado, viabilidade industrial, qualidade e segurança, e proteção ambiental. “Além destes critérios, a comissão foi rigorosa na seleção dos participantes (apenas cerca de 10% dos inscritos), com o intuito de valorizar o conjunto exposto”, afirma Giorgio Giorgi Jr, coordenador do júri . “Procurou, também, levar em conta a relevância da escala de produção e consumo de alguns inscritos, entendidos como potenciais sinalizadores das casas de uma grande parte dos brasileiros”. Giancarlo Latorraca, diretor Técnico do MCB, diz que “este ano a preocupação em fazer produtos que não tragam prejuízos para a natureza está acentuada e com resultados mais concretos”.
A linha de laminados de bambu mesa Demoiselle, a cadeira Lapa (foto) e a poltrona Bambu #5 são feitas de laminados de bambu, material sustentável, resistente e de baixo custo, até então pouco utilizado para a produção de mobiliário neste formato de compensado, que resulta em produto totalmente diferente dos tradicionais móveis de bambu. “Um projeto de linhas bastante simples e leves, uma solução bem atual”, define Foggiato que, ao produzir os móveis com o material, abre novas possibilidades para seu uso. As peças são produzidas e comercializadas pela Oré Brasil.
Forma premiados ainda: na categoria Utensílios, o cesto de compras Smarkt/Chelles & Hayashi Design; Iluminação, a luminária Lift/Fernando Prado ; Equipamentos Eletroeletrônicos, lavadora semi-automática Latina Rubi/Ronis Paixão, Paulo Aleixo Coli e Marcos Rocha; Equipamentos de Construção com a torneira da linha Twin/Ana Lúcia de Lima Pontes Orlovitz e Luiz Moquiuti Morales; na categoria Têxteis, os Colares Tubulares/Miriam Andraus Pappalardo; Equipamentos de Construção – Protótipos, o Kit Brasil/Regis Romera, Marco Antonio Araujo, e Paulo Aparecido de Morais.
Em Trabalhos Escritos, o júri deu dois primeiros lugares na modalidade de trabalhos publicados: “Modernidade Verde. Jardins de Burle Marx”, de Guilherme Mazza Dourado, e “Nossa Bandeira”, de Joaquim de Salles Redig de Campos. Em trabalhos não publicados, o primeiro lugar foi para “Design sem fronteiras”, de Lara Leite Barbosa.
É o design brasileiro mostrando seu valor!

Serviço:

Exposição: “23º Prêmio Design Museu da Casa Brasileira (MCB)”

Abertura da mostra e premiação: 24 de novembro, às 19h30 Visitação: 25 de novembro a 17 de janeiro, de terça a domingo, das 10h às 18h

Site: http://www.mcb.org/.br

Local:

Museu da Casa Brasileira - Av. Faria Lima, 2705 - Tel. 11 3032-3727 Jardim Paulistano - São Paulo

Ingresso: R$ 4,00 - Estudantes: R$ 2,00

Gratuito domingos e feriados Acesso para pessoas com deficiência.

Visitas orientadas: 3032-2564 agendamento@mcb.org.br

Nenhum comentário: